Apps transformam rotina de pessoas com autismo

27/05/2020Tratamentos4 Comentários

Familiares de autistas se destacam entre desenvolvedores de ferramentas para facilitar comunicação e favorecer o desenvolvimento

Aplicativos podem ajudar a transformar a rotina das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), especialmente aquelas com dificuldades de comunicação verbal. Há uma série de programas disponíveis, pagos e gratuitos, que funcionam como uma comunicação alternativa, permitindo ao autistas indicar seus sentimentos e vontades. Essas ferramentas que facilitam o dia a dia e apoiam o desenvolvimento das pessoas com deficiência são chamadas de tecnologia assistiva. O termo foi registrado em 1988 nos EUA para indicar recursos capazes de contribuir com a independência e inclusão destas pessoas. No Brasil, o Comitê de Ajudas Técnicas da Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência (CORDE) definiu a expressão desta forma, em 2006:

“Tecnologia Assistiva é uma área do conhecimento, de característica interdisciplinar, que engloba produtos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços que objetivam promover a funcionalidade, relacionada à atividade e participação de pessoas com deficiência, incapacidades ou mobilidade reduzida, visando sua autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social”

O desenvolvimento da tecnologia assistiva contribui e muito com as pessoas com autismo. Por mais que pareça simples, permitir que uma pessoa não-verbal comunique “Eu gosto de comer pizza com catchup”, por exemplo, demanda múltiplas funções de um sistema de inteligência artificial, como o que oferece o Livox. Desenvolvido pelo analista de sistemas pernambucano Carlos Pereira, o app ganhou em 2015 um prêmio da ONU de Melhor Aplicativo de Inclusão Social do planeta. Além do Livox, há outros inúmeros aplicativos brasileiros que contribuem para o cotidiano das pessoas com TEA. Boa parte deles, inclusive, desenvolvida por familiares dessas pessoas. Confira abaixo uma lista com sete:

Apps substituem os cartões de imagens e ajudam na comunicação de autistas não verbais

Livox
Desenvolvida pelo brasileiro Carlos Pereira, a primeira versão do Livox levou quatro anos para ser lançada. A principal missão do app é auxiliar pessoas com dificuldades motoras e de comunicação, assim como a filha de seu criador: Clara tem paralisia cerebral e aprendeu a ler, escrever e se comunicar com o mundo com a ajuda do Livox.

O sistema expõe símbolos na tela que, ao serem tocados, são traduzidos em comandos de voz. Atualmente, há um repertório com mais de 12 mil imagens disponíveis para os usuários em mais de 25 línguas. A ideia é oferecer o maior número de ferramentas de comunicação possível com o mínimo de interações com o sistema. O programa se adapta de acordo com novas demandas dos usuários, com funcionalidades como correção de sentido ou autocompletar, para tornar cada vez mais precisa e sofisticada a capacidade de comunicação do usuário.

O Livox está disponível no apenas no Google Play com opções de plano mensal básico por R$ 59,99 (ou R$ 540 por ano) e plano mensal plus por R$ 79,99 ao mês (ou 720 por ano). Há também opções de plano para profissionais e para aquisições de governos.

Matraquinha
Criado em 2018 pelos pais e o tio de um menino com autismo, o Matraquinha ajuda crianças que precisam de apoio para a comunicação. A ideia dos três foi transportar para o ambiente digital as pranchas de comunicação do pequeno Gabriel. Chamadas PECs (sigla de Picture Exchange Communication System), são pastas físicas pesadas, que dão trabalho de carregar. Com o app, conseguiram fazer a pasta de pranchas caber no celular. Ali há cartões de figuras estáticas que, ao serem tocadas, emitem o som correspondente. Emoções, roupas, saudações e animais estão entre os assuntos explorados. O app está disponível gratuitamente na App Store e no Google Play.

Ferramentas traduzem imagens e fotos em mensagens de texto que podem ser enviadas pelo celular

Chups
Chups é um app brasileiro criado pelo desenvolvedor Gabriel Reynoso, com o apoio de especialistas na área. Foi lançado no final de 2017, quando a irmã de Gabriel – uma autista não verbal – tinha 18 anos. O objetivo é contribuir com o dia a dia das pessoas com TEA, apoiando a comunicação daqueles com dificuldade de escrita. Também pode servir como ferramenta de apoio em momentos de crise. O app se baseia no sistema de cartões de comunicação e permite que o usuário crie seus próprios cartões, com fotos ou imagens, e associe às palavras que desejar. Ele oferece ainda serviço de agenda e exercícios de sim e não, além de um teclado com voz que transforma em sons as frases digitadas na tela. Pode ser usado em qualquer língua disponível no sistema iOS. Está disponível na App Store por R$ 18,90.

TippyTalk
O irlandês Rob Laffan fundou a TippyTalk em 2015, quando percebeu o impacto de um app criado por ele na rotina de sua filha Sadie, diagnosticada com autismo aos 3 anos. Laffan então usou seus conhecimentos de automação e robótica para aprimorar o app. A missão do TippyTalk é permitir que pessoas não verbais consigam se comunicar de forma independente com o mundo, tanto presencialmente como à distância. O sistema é capaz de traduzir imagens para mensagens de texto, que podem ser enviadas para um membro da família por telefone ou tablet. Há também um sistema de cartões, que permite tirar uma foto ou pegar uma imagem da internet e associar com o texto apropriado ou com uma mensagem de voz. O aplicativo pode ser baixado na App Store e no Google Play, Há opções de planos trimestral, por R$ 169,90, anual, por R$ 319,90, e vitalício por 1.999,90.

Além de guiar a comunicação, apps ajudam autistas a organizar a sua rotina, evitando a ansiedade

Sono Flex
Criado com o apoio de pais, mães, professores, profissionais de saúde e de comunicação, o Sono Flex é um app de vocabulário de comunicação que permite transformar símbolos em fala para contribuir com a comunicação de pessoas não verbais e em processo de alfabetização. O sistema conta atualmente com 11 mil símbolos e 50 frases e expressões de contexto já estruturadas. Também é possível criar símbolos personalizados com fotos da câmera ou imagens do celular ou tablet. O aplicativo está disponível em duas versões na App Store da Apple: o Tobii Sono Flex Lite é gratuito, enquanto o Sono Flex sai por R$ 379,90.

First Then
O First Then é um aplicativo que ajuda as crianças com autismo a lidar com a ansiedade ao fazerem tarefas do dia a dia. O sistema permite que elas ordenem uma sequência de atividades e gerenciar a duração de cada uma delas. É possível personalizar a os recursos visuais e sonoros. Imagens e falas escolhidas e gravadas pelos próprios usuários ou pelos responsáveis ajudam a guiar não só a programação diária como um todo, mas também o andamento de cada uma das atividades em si.

As telas podem conter checklists que indicam quando a tarefa estará concluída. É possível também criar uma agenda com imagens personalizada. O programa está disponível na App Store por R$ 54,90.

4 Comentários

  1. Solange

    As matérias são excelentes e nos ajudam a ampliar os conhecimentos sobre o TEA. Parabéns aos profissionais, a todos envolvidos nessa missão.

    Responder
  2. Jose Raimundo Cipriani

    Com 65 anos,hoje plenamente adaptado,pelos sintomas do meu neto indentifiquei que tenho este espectro,estou fazendo exames e testes……. segundo a psicóloga. Forte indícios historicos

    Responder
  3. Jessica

    Excelentes Apps, pena que a maioria é pago.

    Responder
  4. Marcos

    Parabéns pelo trabalho de vocês!!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *