Dicas de cuidados com os dentes em crianças autistas

30/11/2020TEA no Dia a Dia0 Comentários

Cartilha oferece orientações de atendimento a profissionais que atenderão pacientes com TEA

Para algumas crianças, adotar hábitos diários de higiene oral podem ser um desafio. No caso dos autistas, algumas características, como a hipersensibilidade tátil pode aumentar o desconforto do momento. Um dos primeiros passos para lidar com a questão é escolher a escova de dentes mais confortável para a criança.

O mercado oferece grande variedade de tipos, estilos e cores. Como escolher? Em primeiro lugar, o tamanho da escova precisa ser adequado à boca do da criança. As cerdas precisam ser macias.

Nos casos em que a criança demonstra intenso desconforto, será necessário iniciar um processo de dessensibilização. A dica é usar a escova para tocar os lábios ou só o interior da boca. Também é importante ensinar a criança a “abrir completamente”. Uma das maneiras de estimulá-la é o adulto mostrar como escova os próprios dentes.

Planejamento visual é um grande aliado para incentivar a criança a escovar os dentes

A adoção de um planejamento visual, muito útil para lidar com crianças com autismo em diversos processos, pode ser também uma grande aliada na hora de escovar os dentes. Cada etapa do processo deve ser representada por uma foto ou um desenho. À medida que cada tarefa vai sendo executada, é hora de avançar para a atividade seguinte.

Existem muitas alternativas para criar esse painel do passo a passo. Pode ser feito com a ajuda do celular, com fotos impressas, com papeis forrados de plástico, com vídeos curtos gravados em sequência. Cada família, junto à criança, precisa descobrir a melhor forma de manter o estímulo. Todas as dicas podem ser encontradas no nosso Guia de Treinamento para o Cuidado com os Dentes.

Usar outros cômodos da casa onde a criança fique mais confortável durante a escovação pode ajudar

O local da escovação não precisa ser exatamente o banheiro. Se a criança se sentir mais à vontade, o processo pode acontecer em outra parte da casa – sentada no sofá, por exemplo.

Embora a maioria das pessoas escove os dentes no banheiro, para acomodar a criança e acostumá-la à escovação, você pode fazer isso no sofá ou em qualquer outra parte da casa onde ela fique mais à vontade. O objetivo final é escovar os dentes da maneira mais independente possível.

A recomendação para orientar a criança no processo é o adulto ficar atrás dela. Com a cabeça da criança em seu peito, o adulto deve colocar uma quantidade de pasta de dente do tamanho de uma ervilha no meio da escova. Em seguida, deve guiar a escova como estivesse escovando os próprios dentes

Ensinar a usar o fio dental também faz parte das tarefas diárias

Para introduzir o fio dental na rotina de saúde bucal, a recomendação também é ir aos poucos. O ideal é que a atividade seja inserida na rotina da criança logo que possível, sempre em pequenas etapas e confiando em cada pequeno sucesso conquistado.

A técnica é a mesma da escovação: o adulto deve colocar a cabeça da criança no seu peito e usar o fio dental como estivesse limpando os próprios dentes. O fio deve ser usado em cada dente.

Há crianças que precisam de estímulos verbais, como agradecimentos a cada etapa ou ao final de todo o processo. Alguns respondem bem a recompensas a cada passo cumprido. É preciso entender como ela reage para saber a melhor maneira de incentivar. Cada criança vai desenvolver as habilidades necessárias para escovas os dentes de acordo com seu próprio ritmo.

É importante conversar com o dentista sobre as características da criança e preparar o momento

Os esforços para manter a saúde bucal em dia também acontecem antes da consulta com o dentista e no consultório. O primeiro passo é encontrar alguém que tenha experiência em lidar com autistas. Vale consultar grupos de mães, pais e cuidadores e há também nossa página instituições de apoio, que podem orientar a escolha.

Após a escolha do profissional, é importante uma conversa prévia em que pais, mães ou cuidadores contem quais são suas preocupações e como é o comportamento da criança. Há casos em que será necessário reduzir as luzes ou evitar ruídos.

Uma outra dica é pedir fotos do consultório para mostrar aos pequenos na preparação da ida ao dentista. Se houver imagens nas redes sociais, fica ainda mais fácil.

Em casa, pais, mães e cuidadores podem simular situações que serão vivenciadas no consultório

Em tempos de pandemia, é importante orientar a criança sobre os cuidados necessários na chegada ao consultório – a necessidade de limpar os sapatos na entrada, de passar álcool gel nas mãos, de não tirar a máscara até que o pedido do dentista, por exemplo.

Nem sempre é possível passar por todos os processos em uma primeira consulta. Pode ser que seja necessário um processo de adaptação. Neste ponto, vale ressaltar que é possível preparar as crianças em casa para alguns processos. Há instrumentos usados na consulta que podem ser comprados na farmácia, como lanterna pequena, espelho odontológico ou um massageador de gengiva com extremidade de borracha.

Com algumas crianças, será importante abordar cada uma das etapas que será vivenciada no consultório, de forma que ela possa compreender as instruções. A criança vai precisar, por exemplo, manter as mãos paradas na altura do estômago, colocar os pés em linha reta e abrir bem a boca e mantê-la aberta. Pode ser que haja necessidade de um exame radiológico. Também há o momento de cuspir na pia. Por conta da pandemia, nem todos os dentistas estão mantendo este hábito, há quem esteja adotando o sugador para retirar o excesso de líquido da boca. É bom perguntar previamente. Todos estes processos servem para que a criança ganhe confiança e conquiste cada dia mais autonomia.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.