Minha filha conhece todos os planetas, mas não sabe dar tchau

14/01/2020Histórias3 Comentários

Mãe da Manu, de 5 anos, Daiana conta como percebeu lacunas no aprendizado da filha

Minha filha conhece todas as letras, formas geométricas, conta em forma decrescente, conhece cores como ciano, magenta e anil. Mas, ela não sabe dar “tchau” com as mãos – quando tenta fazer o gesto, balança a mãozinha como se estivesse espantando uma mosca! A Manu já sabe associar todas as letras com palavras: “A” é de amor e abelha, “B” é de bola, bolo e boneca, porém ela não sabe se vestir sozinha. Ou seja,  ao mesmo tempo que a Manu está muito à frente em algumas coisas, ela está bem atrasada em outras.

E esses dias a minha ficha caiu: eu falhei em ensinar o básico, como saber se vestir, se calçar, se limpar, coisas simples que fazem parte da sua rotina diária. E preciso começar a correr atrás, pois conforme o tempo passa, sua falta de independência fica mais visível. Ela não precisa saber montar um grande quebra-cabeça, mas precisa saber abrir e fechar sua blusa. Não precisa se alfabetizar tão rápido, mas precisa saber dizer seu nome, o nome de seus pais e mais algumas informações de segurança.

Sei que não errei por relaxo; eu estava trabalhando várias outras coisas importantes como suas questões sensoriais e achei que esses “pequenos” detalhes seriam aprendidos naturalmente. O trabalho que faço com a Manu vem dando muito resultado e não posso parar, porém preciso conciliar com atividades mais simples. A minha ideia agora é colocar a Manu ainda mais dentro da rotina da casa, não só observando, não só ouvindo a descrição do que estou fazendo, mas também executando comigo os afazeres, mesmo que isso “atrase” a próxima atividade. Ser mãe atípica é isso, errar, errar, errar, errar até finalmente acertar!

Daiana de Souza Camilo

Daiana de Souza Camilo

Mãe da Manu, faz cursos de Intervenções Precoces no Autismo e de Terapia ABA. Daiana e o marido Dione Ribeiro Camilo são autores do perfil no Instagram @mundo_da_manu_tea

3 Comentários

  1. Juliana Lucci

    Mas “errando” você também aprende, ensina e se torna uma mãe ainda mais maravilhosa! Muito amor pra vocês! 🌹🙏

    Responder
  2. Bianca Almeida

    você é uma inspiração para mim, acompanho todos os dias vocês nos instagram, adoro ver o dia a dia da Manu, estou aplicando o mesmo com a minha filha, e tem dado certo, devagar, mas saindo resultado!
    Daiana meus parábens por todo esse esforço, e que você continue sendo essa pessoa que transmite ótimos aprendizados para nós mães e pais átipicos.

    Responder
  3. Orlando Cândido dos Passos

    >Obrigado, por compartilhares essa vivência!
    >>Tive um colega e amigo autista e analista de sistemas autista.
    Ele não dava a mínima para o convívio social, mas era extremamente focado e resolutivo nas suas atividades profissionais.
    Eu me sentia feliz em conviver com ele e me sentia sendo aceito como era e sem nenhum tipo de julgamento.
    As interatividades eram diretas e puras.
    >>>Esse maravilhoso colega muito me enriqueceu e despertou meu interesse pelos autistas.
    Desde então procuro ampliar meus conhecimento sobre TEA.
    Mais tenho vistos filmes e séries que nos permite visibilizar e visualizar várias situações do Autista no Mundo Real…

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *