Sharon King: o desafio de criar três filhos com TEA

12/03/2020Histórias0 Comentários

Da experiência com Rosie, Daisy e Lenny, ela escreveu um livro sobre como ajudar mães de autistas

Sharon King é uma mãe britânica de três filhos com autismo. Rosie, a mais velha, hoje com 21 anos, tem Asperger, e os dois mais novos são pessoas não-verbais. Daisy nasceu com a rara síndrome de Kabuki, que compromete severamente seu aprendizado, enquanto Lenny, o mais novo, tem autismo clássico. “Os diagnósticos foram como três bombas em minha vida. Caí em depressão profunda”, desabafou em depoimento ao blog americano Autism Articulated. Sharon diz que seu estado depressivo começou a perder força “quando comecei a perceber a maneira como eles eram, em vez de focar em quem eu imaginava que eles deviam ser”.

Este sentimento é muito comum após a confirmação do diagnóstico de TEA. Nossa colunista, Daiana Camilo, falou sobre este tipo de luto que está muito ligado aos sonhos e às expectativas que os pais tinham para a criança. Sharon com o tempo entendeu que seus filhos eram diferentes dos outros, mas nem por isso deixavam de ser crianças bonitas, divertidas, interessantes e mágicas. “Gostaria de ter a chance de saber desde o começo que o diagnóstico não era o fim da nossa vida em família. Era o começo de algo verdadeiramente maravilhoso para todos nós”.

Esclarecer as pessoas sobre como sua família lida com as características de cada um dos filhos e contar de maneira leve e otimista sua vivência como mãe passou a ser algo prazeroso e a ganhar cada vez mais importância na vida de Sharon. “É a única maneira de quebrar estereótipos e preconceitos que continuam a existir”.

Não se comparar aos outros e celebrar as conquistas de cada um

Além de escritora e palestrante motivacional, ela foi colunista de um jornal da cidade Wakefield, onde mora, se transformando em uma celebridade local. Em paralelo, lançou dois livros de contos de fadas com ilustrações da sua mais velha, Rosie. “The Daily Journal Of Arabella Crumblestone” (O Diário de Arabella Crumblestone) e “The Unfinished Stories” (Histórias incompletas, em tradução livre) trazem histórias para conscientizar crianças e pessoas típicas sobre o autismo de forma lúdica e divertida.

Em 2017, Sharon publicou seu primeiro livro para adultos. “How to Best Help an Autism Mum” (Como ajudar mães de pessoas com autismo, em tradução livre) traz dicas tanto para quem convive como para quem simplesmente se depara com mães de crianças com TEA. Entre as sugestões, estão se oferecer para dormir na casa da pessoa e acordar no meio da noite, permitindo que a mãe tenha uma noite de sono contínuo. Ajudar a dar explicações calmas em retribuição a olhares inquisidores é outra orientação valiosa. “As pessoas típicas realmente não têm a menor ideia de como reagir a alguns comportamentos autistas. Acredito que as reações negativas venham desta falta de conhecimento”.

Um dos principais recados de Sharon para famílias com TEA é nunca se comparar a ninguém, afinal toda família tem problemas e desafios. Para ela, também é importante celebrar as conquistas dos filhos a partir de limites de cada um. Rosie é palestrante e também atua como escritora e dubladora do desenho animado Pablo, sobre um menino com TEA. No caso de Lenny, é valioso quando ele simplesmente consegue entrar no carro e voltar para casa mesmo quando não quer. Já Daisie, ouviu de médicos que jamais andaria, mas ainda na infância deu seus primeiros passos. O que mais a mãe teria a dizer sobre eles? “São sensacionais.”

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.