Fique atento: ozonioterapia não é indicada por médicos

10/01/2022Fake News0 Comentários

Prática é vetada pelo CFM fora de estudos clínicos controlados

Recentemente, o jornal O Globo publicou uma reportagem importante sobre o uso da ozonioterapia para o tratamento de pessoas com autismo e câncer. Apesar de diversas clínicas oferecerem o serviço no país, a prática é desaconselhada por especialistas e vetada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) fora de estudos clínicos controlados.

Escrita pela jornalista Mariana Rosário, a reportagem reforça que todas as máquinas de ozônio liberadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) possuem uso autorizado apenas para fins estéticos (como na limpeza de pele) e na odontologia.

Neurologista do Instituto Pensi, Carlos Takeuchi define tratamento como “picaretagem”

De acordo com o texto, defensores da prática dizem que o uso de ozonioterapia por autistas promoveria uma melhora global na oxigenação cerebral, traria benefícios ao sistema circulatório, entre outras áreas. Outros sugerem que o oxigênio ajudaria no atraso da fala, um problema comum às pessoas que têm transtornos classificados como parte do espectro autista.

“É uma picaretagem. O transtorno do espectro autista não tem tratamento. O que há são medicamentos que amenizam os sintomas, e se criança não tem sintomas fazemos a terapia comportamental e fonoaudiológicas”, diz o Dr. Carlos Takeuchi, neurologista do Instituto Pensi.

O texto também traz o posicionamento de outros grandes especialistas no assunto.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.