A escala M-Chat no Brasil

30/09/2022Diagnóstico0 Comentários

Teste feito por mães e pais e crianças de 16 a 30 meses não descarta necessidade de avaliação médica

A escala M-Chat. é o instrumento de triagem precoce do Transtorno do Espectro Autista (TEA) recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria. O teste é composto por questões do tipo sim/não, que devem ser respondidas por mães e pais de crianças entre 16 e 30 meses de idade que estejam acompanhando o filho em uma consulta pediátrica.

As respostas aos itens da escala levam em conta observações dos pais com relação ao comportamento dos filhos. A soma total dos pontos vai indicar a presença de sinais do TEA, mas não necessariamente confirmam o diagnóstico preciso.

Em caso de pontuação elevada, é fundamental que a criança siga para uma avaliação com um médico especialista e uma equipe multidisciplinar.

Artigo brasileiro publicado neste ano traduziu atualizações da escala M-Chat R/F

Neste ano, um novo artigo foi lançado com atualizações sobre essa escala. Na edição de julho de 2022 da Revista Paulista de Medicina, foi publicado o artigo “Tradução para o português e validação da escala Modified Checklist for Autism in Toddlers, Revised with Follow-Up para rastreamento precoce de transtorno do espectro do autismo”.

O artigo tinha como objetivo traduzir a escala M-Chat R/F do inglês para o português brasileiro, levando em conta as diferenciações culturais.

No total, 75 crianças de 1 a 6 anos participaram deste estudo. A média de idade foi de três anos. Destas, 41 (54,6%) crianças tinham desenvolvimento típico e 34 (45,3%) tinham diagnóstico prévio de TEA – conforme relato dos pais.

Qual é a diferença entre a M-Chat e a M-Chat R/F?

A escala M-Chat busca triar crianças com sintomas de TEA e é válida para crianças de 16 a 30 meses.

Existem três diferenças básicas entre a escala M-Chat e a M-Chat R/F: houve a redução do número de itens, de 23 para 20, a linguagem foi simplificada e adicionados exemplos para facilitar a compreensão, além de introduzir perguntas retóricas.

As crianças que pontuavam positivo no M-Chat R/F tiveram 114 vezes mais chances de serem diagnosticadas com TEA do que as com pontuação negativa.

M-Chat R/F é feita em duas etapas; versão completa está disponível na internet

M-Chat R/F é um instrumento de duas etapas. Inicialmente, os pais respondem a 20 perguntas do tipo sim ou não, o que leva, aproximadamente, cinco minutos. Se a pontuação for de zero a dois, a criança é considerada de baixo risco e não precisa seguir o questionário.

A segunda etapa do M-Chat R/F destina-se à obtenção de informações adicionais e leva de cinco a dez minutos. Se a pontuação estiver entre três e sete, a criança é considerada de médio risco e a próxima etapa deve ser aplicada. Uma pontuação entre oito e 20 é considerada positiva, não há necessidade de aplicar a segunda parte do questionário e essa criança deve ser prontamente encaminhada para acompanhamento especializado.

Crianças menores de 24 meses devem sempre ser reavaliadas, conforme recomendação da Academia Americana de Pediatria.

A versão completa da escala M-Chat R/F original está disponível no site da autora Diana Robins: https://mchatscreen.com/

Bárbara Bertaglia

Bárbara Bertaglia

Médica residente na pediatria da Santa Casa de São Paulo, pesquisadora na área de Transtorno do Espectro Autista e membro da equipe Autismo e Realidade desde 2019

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.