Uma Advogada Extraordinária e o autismo – parte 1

21/10/2022Histórias0 Comentários

Série lançada este ano está entre as dez mais vistas da Netflix e terá segunda temporada

Lançada neste ano pela Netflix, a série Uma Advogada Extraordinária chegou ao Top 10 da plataforma no mundo.

A trama acompanha a vida da protagonista Woo Young Woo, uma jovem de 27 anos formada em direito. Diagnosticada ainda na infância com autismo popularmente conhecido como leve, ela terminou a faculdade como a melhor aluna da Universidade Estadual de Seoul e acabou contratada por um dos maiores escritórios de advocacia da região.

Protagonista tem memória excepcional e QI alto, mas dificuldade de relacionamento interpessoal

Young Woo possui memória avançada e alta capacidade de raciocínio, descrito na série como memória fotográfica e como alto QI. Por outro lado, tem grande dificuldade de relações sociais e não entende muito bem as emoções. Por conta deste lado social, ela sofreu bullying no ambiente escolar desde cedo e segue sendo rotulada como “esquisita” mesmo no ambiente de trabalho.

A série fez tanto sucesso que a plataforma já anunciou que lançará uma nova temporada. O diretor, no entanto, afirmou que o retorno não acontecerá tão cedo.

“Graças ao apoio de muitos espectadores, Uma Advogada Extraordinária vai retornar para a sua 2ª temporada, que pretendemos lançar em 2024. Ajustar a agenda dos atores e da equipe será um desafio, mas estamos determinados a voltar sem nenhuma mudança”, afirmou. Assim, vamos ter que aguardar mais dois anos para prestigiar mais uma temporada desta trama.

Young Woo só falou pela primeira vez aos 5 anos e, com dificuldade de interação, tem apenas uma amiga

A série tem como foco o crescimento da personagem como pessoa e como profissional e mostra vários aspectos do Transtorno do Espectro Autista (TEA) no dia a dia.

Os pontos que mais chamam atenção no autismo são as habilidades sociais e de comunicação. A personagem tem grande dificuldade nessas áreas desde cedo.

Já no primeiro capítulo, descobrimos que Young Woo falou suas primeiras palavras aos 5 anos, mostrando um atraso no desenvolvimento e dificuldade na comunicação verbal.

Mesmo depois de adulta e formada, a personagem continua com dificuldade de interação social. Vemos no começo da série que ela possui apenas uma amiga.

Fascinada por baleias, a personagem é orientada pelo pai a jamais falar delas no trabalho

Quando Young Woo vai começar seu primeiro dia no novo emprego, o pai a instrui sobre o que é socialmente aceitável e o que não é.

A personagem tem uma ligação forte com baleias, o que mostra a fixação por alguns interesses restritos, que também é um dos aspectos do TEA – o chamado hiperfoco. Antes do primeiro dia de trabalho, o pai recomenda justamente que ela não fale sobre baleias no escritório.

Ela tem dificuldade não só de entender quais assuntos são apropriados para cada ocasião como também quais geram interesse do interlocutor. São características comuns entre autistas, que possuem dificuldade de entender emoções e colocações que não são literais, como ironias.

No quarto da personagem, por exemplo, há um quadro com fotos de uma pessoa expressando todos os sentimentos, como uma pessoa feliz que está sorrindo.

Conexão à rotina e necessidade de enfileirar objetos do cotidiano são comuns entre autistas

Outro ponto da série é a questão da rotina. Autistas têm grande dificuldade de alterá-la. A protagonista pede ao pai todos os dias para preparar a mesma refeição no seu café da manhã, o Kimbap.

Além disso, em um dos episódios, traz uma refeição ao pai de um prestigiado restaurante local. Quando o pai abre o pacote, trata-se do kimbap, o mesmo prato que ele cozinha para a filha todos os dias. Assim, notamos a dificuldade de mudança e também de entender os sentimentos.

Todas as vezes que a personagem vai comer o seu prato tão esperado, ela enfileira os alimentos sempre da mesma forma. Este “enfileirar” do autismo pode ser visto mais claramente na infância, quando crianças enfileiram os carrinhos em vez de brincar de faz de conta, por exemplo.

Estereotipias também compõem a lista de características de Young Woo presentes em muitos autistas

A série também nos mostra as questões de estereotipias (https://autismoerealidade.org.br/2019/09/12/o-que-sao-as-estereotipias/), presentes no autismo. Há momentos em que a personagem se balança de um lado para o outro, por exemplo. Logo na primeira cena da série, a personagem inicia se balançando e olhando fixamente para uma baleia de brinquedo.

Esta é uma série muito rica para entendermos um pouco sobre TEA, mesmo que no mundo da ficção. Por isso, dividiremos este texto do nosso blog em uma segunda parte, para explicar mais aspectos do autismo.

Bárbara Bertaglia

Bárbara Bertaglia

Médica residente na pediatria da Santa Casa de São Paulo, pesquisadora na área de Transtorno do Espectro Autista e membro da equipe Autismo e Realidade desde 2019

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.