Cinema e TV: filmes que retratam o autismo

30/03/2021TEA no Dia a Dia0 Comentários

Seleção reúne ficções, biografias e documentários com personagens e personalidades autistas

Filmes que retratam a vida e a rotina de pessoas com autismo, assim como séries, livros e show de tv, contribuem para reduzir o estigma em torno do distúrbio e a ampliar as possibilidades de inclusão de autistas, como sempre reforçamos neste blog. COm isto em mente, fizemos uma lista de obras ficcionais, documentários e filmes biográficos para estas férias de verão.

Cinebiografia de uma das personalidades autistas mais reconhecidas do planeta faz parte lista

Temple Grandin

Temple Grandin é uma das personalidades autistas mais conhecidas em todo o mundo. Ela marcou a história ao revolucionar técnicas de manejo de animais em fazendas e abatedouros. O longa-metragem lançado em 2010, traz Claire Danes no papel de Grandin e conta a trajetória dela desde a infância, em uma época em que o autismo ainda era muito pouco conhecido. Grandin foi diagnosticada aos 4 anos, na década de 1950.

Desde então, passa a ser estimulada pela mãe e frequenta a escola até se formar no Ensino Médio, quando se muda para a fazenda de uma tia. Ali, passa a observar o comportamento do gado e se interessa pela forma como ficam calmos ao serem imobilizados quando precisam ser vacinados. Baseada nessas observações, a jovem cria um mecanismo capaz pressionar uma pessoa de forma que a acalme, o que Grandin passou a chamar de “Máquina do Abraço”. Em sua biografia, ela conta que criou o equipamento por sentir profundo desconforto ao abraçar outras pessoas e que, só com quase trinta anos, ela conseguiu dar um aperto de mão e olhar nos olhos de outra pessoa.

O filme mostra que a família reconhece as habilidades de Grandin e a incentiva a investir na vida acadêmica e ela se torna PhD em engenharia agropecuária e autora de livros que abordam o autismo a partir de sua experiência. A cinebiografia pode ser vista na plataforma de streaming do canal HBO.

Histórias mostram trajetória de mãe de gêmeos com TEA e grupo de humor formado por autistas leves

Uma Viagem Inesperada

Também produzido para a televisão, o drama biográfico Uma Viagem Inesperada, lançado em 2004, conta a história de Corrine, mãe de gêmeos autistas, e sua luta para inclusão dos filhos.

A primeira cena mostra o impacto que o duplo diagnóstico provoca em Corrine. Ela entra em desespero, mas ainda consegue reunir forças para largar o marido quando ele diz que não vai conseguir lidar com a situação. Corrine então passa a criar os dois sozinha, contrata uma babá, começa a trabalhar e matricula os filhos em uma escola, sem falar sobre o transtorno.

Por conta do comportamento atípico dos garotos, Corrine é acusada de maus tratos e, ao revelar o diagnóstico, é sugerido que ela procure outra escola. A história mostra a luta de Corrine para manter os filhos na escola, conseguir acompanhamento especializado e desenvolver os filhos, estimulando e desenvolvendo suas singularidades. O filme está disponível no YouTube.

Asperger’s are us

O documentário Asperger’s Are Us, lançado em 2016, acompanha uma trupe de comédia norte-americana formada por quatro jovens com autismo leve que se prepara para se apresentar pela última vez antes de se separarem após seis anos juntos. O filme está disponível na Netflix.

Engana-se, porém, quem pensa que o grupo acabou. Após uma pausa, o grupo, que se conheceu em um acampamento de verão em Massachusetts, volta a se reunir para fazer comédia e estrela um novo documentário. On Tour with Asperger’s Are Us, que acompanha turnês do divertido quarteto, está disponível na HBO.

Histórias de um biólogo marinho argentino e de famílias brasileiras também inspiraram filmes

Farol das Orcas

Lançado em 2016, Farol das Orcas conta de Tristán, um autista de 11 anos que dá sinais de emoções ao assistir um documentário sobre um biólogo marinho que brinca e nada com orcas na Patagônia. A esperança de que o contato com as baleias ajude no desenvolvimento de Tristán faz sua mãe viajar com o flho em busca do guarda.

A história é inspirada na vida do biólogo marinho argentino Beto Bubas, que trabalhava em uma praia da Patagônia que é um dos raros lugares em que orcas caçam filhotes de leões e lobo marinhos na beira do mar. Beto passou a se comunicar com as orcas tocando gaita e criou uma conexão que lhe permitia acariciar esses bichos que são um dos maiores predadores do planeta. Beto passou uma temporada acompanhado por um garoto autista surdo mudo, Agustin, que se desenvolveu muito a partir do contato com as orcas. A história rendeu um livro, que inspirou o diretor do filme. Farol das Orcas está disponível na Netflix.

Em um mundo interior

O documentário brasileiro Em um Mundo Interior mostra a rotina de sete famílias de autistas entre 3 e 18 anos de diferentes classes sociais e regiões do país. O filme aborda como cada família lida com expectativas e frustrações trazidas pelo transtorno, do acompanhamento e de seus resultados. Dirigida por Mariana Pamplona e Flavio Frederico, a obra está disponível para assinantes do Globoplay.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *